O Arsenal anunciou a sua segunda contratação do verão - e agora confirmou que a nova temporada vai ser de grande aposta por parte das Gunners.

A internacional inglesa Nikita Parris chegou ao norte de Londres por uma verba que pode ultrapassar os 100 mil euros e o seu poder de fogo pode ser o catalisador para as Gunners realizarem uma grande temporada em 2021/22.

Parris chega ao Arsenal proveniente do Olympique Lyon, onde a avançada inglesa passou duas temporadas e contou com uns impressionantes 33 golos em 53 jogos e conquistando tudo o que tinha para vencer logo na sua primeira temporada - incluindo a Liga dos Campeões.

E depois da saída da playmaker holandesa Danielle van de Donk, os responsáveis do Arsenal quiseram passar uma mensagem às restantes equipas da Women's Super League: Este ano o título não é para ser uma miragem. De facto, esta contratação vai de encontro às palavras de Vinai Venkatesham, que referiu que o Arsenal iria receber um grande investimento, tanto dentro como fora de campo.

E uma contratação à escala de Nikita Parris é definitivamente um passo nessa direção.

Parris foi no passado jogadora do Manchester City e apesar de ter deixado a Women's Super League há duas temporadas atrás, ela continua a ser a terceira melhor marcadora da história da competição - apenas ultrapassada pela inglesa Ellen White e por Vivianne Miedema, que será sua colega de equipa nesta temporada no Arsenal.

No entanto Parris é uma contratação que se encaixa no Arsenal? Se continuar a marcar como o tem feito ao longo da sua carreira, então definitivamente é. Na temporada passada vimos van de Donk a ser utilizada mais na faixa lateral com licença para progredir para o meio e Parris tem uma grande tendência em fazer esse tipo de movimento, antes de causar todo um pânico na área adversária. Com Beth Mead no outro flanco, o Arsenal tem a largura suficiente para esticar as equipas adversárias, bem como o poder de fogo para causar os danos necessários.

Parris está muito feliz com o seu regresso a Inglaterra e por representar o Arsenal. Em entrevista aquando da sua chegada disse: "Estou muito feliz por estar aqui, num clube com uma História inacreditável e quero fazer parte deste projeto. Quero conquistar todos os títulos domésticos e competir pela Liga dos Campeões. Estou contente por regressar à Women's Super League que cresceu e melhorou muito desde que saí".

"Penso que o mais importante é provar que escolhi o melhor clube e o melhor lugar para continuar a dar rumo à minha carreira. Aqui no Arsenal, depois de falar com a Clare [Wheatley] e com o restante staff, tornou-se evidente que fiz a escolha acertada. Espero poder trazer mais sucesso ao Arsenal".

E foram duas antigas lendas do Arsenal que fizeram Nikita Parris ficar apaixonada por futebol e querer ser profissional. A avançada citou tanto Thierry Henry como a antiga máquina de fazer golos das Gunners Julia Fleeting, dizendo: "A maneira como ela fazia golos era incrível. Cada vez que a via jogar ela marcava dois ou três golos. Por vezes, Fleeting passava ao lado do jogo durante 70 minutos mas sabíamos que mais tarde ou mais cedo ia acabar por marcar e isso acabava por acontecer".

"Como ponta-de-lança ou avançada queremos sempre marcar golos e a forma diferenciada como ela fazia fosse de cabeça, remate ou em volley era um ensinamento. Ela e Thierry Henry foram os meus mentores no meu crescimento".

O Arsenal tem em vista um onze titular muito forte com a chegada de Parris e que se junta a Vivianne Miedema, Jordan Nobbs, Caitlin Foord, Kim Little e Beth Mead. As Gunners continuam a preparar a nova temporada, que para além de Nikita Parris contam com a internacional japonesa Mana Iwabuchi como caras novas. Também Jonas Eidevall chega da Suécia para substituir Joe Montemurro no cargo de treinador.