Dor

Como te explicar se não é ferida exposta para fora da pele, mas sim um aperto no peito, quando partem seu coração de novo lá está ela dizendo oi novamente, como uma víscera exposta para fora do corpo, seu coração parece parar de bater, não sente mas o chão aos seus pés, ai como doí quando perdemos alguém que tanto amamos, levou junto de sua partida uma parte de nós, sua mente só pensa que dor que parece dilacerar por dentro mas sem se ver, morremos também ao sentir a dor do luto de um ente querido, ou a partida de um grande amor, sua mente só pensa que dor tão extensa quanto o horizonte do mar ou as estrelas parece não querer ceder só o tempo para curar tal dor que não quer passar.Sexo. Quando o desejo é tão grande que ele exacerbar para fora de nós através de nosso corpo que clama quase implora pelo toque daquele que amamos, ao sentir sua pele rosar na sua, seu beijo, um universo paralelo te invade que pertence somente a vocês dois, você sente aquela língua percorrer cada centímetro de seu corpo arrancando a expressão de prazer com um som de gemido do orgasmo que foi lhe arrancado como a expressão mais profunda do seu êxtase, ao sentir seu órgão dentro de ti, se sente preencher a vida, de um prazer que extrapola de seu corpo, quando é chegado o fim, já deseja que tudo cosmético de novo, pois agora não consegue mais se afastar do dono daquele corpo que te traz tanto prazer.

Amor.

Algo que sente latente no peito, por sua família e quem escolhe amar como namorados e amigos. Num primeiro encontro sabemos se vamos não conseguir viver sem uma pessoa, o primeiro beijo encaixa com um quebra cabeça, logo o sexo é tão perfeito que você não consegue mas se afastar daquele corpo, aquela boca, você se sente vivo, o mundo fica mais colorido mas belo, você vive pensando e comentando da pessoa com sua família, assim não muito tempo depois conhece seus amigos, sua família e ele a sua, compartilham momentos juntos, quando eterno enquanto dure chega, parece que arrancam o pedaço do coração tão remendado com band ainds agulhas e linhas que não sabe se aguenta mais uma decepção, aquele que você tantos momentos não te olha do mesmo jeito, não te vê da mesma maneira mais parece dois estranhos nem parece que um dia houve amor. Relata sexo, amor, dor. Dor. Como explicar se não é uma ferida exposta fora da pele, mas um aperto no peito, quando partem seu coração de novo lá ela volta a dizer oi, como uma víscera exposta fora do corpo, o coração dela parece parar de bater, não ele sente mas o chão a seus pés, lá como dói quando perdemos alguém que tanto amamos, ele levou parte de nós com ele, sua mente só pensa na dor que parece rasgar por dentro mas sem nos vermos, também morremos ao sentir a dor do luto de um ente querido, ou a partida de um grande amor, sua mente só pensa que uma dor tão extensa quanto o horizonte do mar ou das estrelas não parece quero desistir apenas do tempo de curar tanta dor que ela não quer passar.


Sexo.

Quando o desejo é tão grande que exacerba de nós através do nosso corpo que grita quase implora pelo toque daquele que amamos, sentindo sua pele rosa na sua, seu beijo, um universo paralelo te invade que pertence apenas a vocês dois , você sente aquela língua viajar cada centímetro do seu corpo extraindo a expressão de prazer com um gemido do orgasmo que foi arrancado de você como a expressão mais profunda do seu êxtase, quando você sente o seu órgão dentro de você, você se sente cheio de vida , com um prazer que extrapola do seu corpo, quando chega o fim, você já quer que tudo comece de novo, porque agora você não pode mais fugir do dono daquele corpo que tanto prazer te traz. Amor. Algo que parece latente em seu peito, por sua família e por aqueles que ele escolheu para amar como namorados e amigos. Num primeiro encontro a gente sabe se não conseguiremos viver sem a pessoa, o primeiro beijo se encaixa em um quebra-cabeça, então o sexo é tão perfeito que você não pode deixar de se afastar desse corpo, dessa boca, você se sente vivo , o mundo é mais colorido, mas bonito,